Está apenas confiante, ou confia realmente em si?

Está apenas confiante, ou confia realmente em si?

Está a assistir a uma fase de mudança de valores, de certezas, de hábitos e de pressupostos que o afectam, mas acima de tudo, e para além do cenário de crise financeira e política, assiste hoje a uma crise grave de confiança. Deixar de ter receio de confiar realmente em si e no seu mercado, pode ser a solução para o seu negócio imobiliário.

Confiar realmente em si, significa que já consegue confiar nos outros e nas suas relações com estes:

  • Promotor vs Consultor Imobiliário
  • Vendedor Imobiliário vs Angariador
  • Senhorio vs Inquilino

Na minha opinião, a confiança é a base de tudo, e por isso, existem hoje pessoas que continuam a crescer profissionalmente e aumentam os seus resultados independentemente da fase de mercado que vivemos. Na área imobiliária, a confiança é ainda um factor mais determinante pois o negócio deixou de ser sobre imóveis e passou a ser sobre pessoas.

Antes de construir confiança, é preciso tê-la e acreditar neste valor como a base do seu negócio para obter retorno. Para que possa reflectir sobre o seu ponto de confiança, preparei algumas questões que deve começar por responder para si:

  • Porque é que a confiança no meu negócio é tão importante?
  • Como pode a confiança ter um impacto directo nos meus resultados?
  • Como posso medir o nível de confiança que tenho actualmente
  • Como posso implementar o nível de confiança que os outros têm em mim no meu negócio?

Verá também que não basta apenas confiar em si e no que sabe, é preciso saber o número de pessoas que o fazem e que o reconhecem. Diria mais, não se trata do número de pessoas que o conhecem bem, mas sim, do grau de confiança que eles têm em si. Só quando o nível de confiança é elevado é que surgirão as oportunidades.

Os empresários ou empresas de confiança estão 10 pontos acima sobre todas as outras, todos reconhecemos estas pessoas e não temos dificuldade em classifica-las em nível de confiança. Numa perspectiva comercial este ranking é altamente positivo para quem esta no topo. Quanto mais confiança gerar, mais as pessoas quererão fazer negócio consigo.

Mas, o que acontece quando o nível de confiança é baixo?

  • Tudo se torna mais lento, as pessoas verificam tudo mais do que uma vez e hesitam antes de tomarem decisões (ex: contratos a serem revistos por mais do que um advogado, originando desconfiança e objeções difíceis de se resolver);
  • O envolvimento de colaboradores ou parceiros, é muito mais baixo (ex: proprietários pouco cooperantes no processo de venda de um imóvel);
  • Os intervenientes do negócio sentem-se descontentes connosco ou com a organização;
  • As pessoas tornam-se desconfiadas, logo, menos felizes (descida forte de motivação).

Quando o nível de confiança é alto, acontece o oposto:

  • Performance individual elevada;
  • Envolvimento pessoal elevado;
  • Rapidez na execução;
  • Mais eficiência;
  • Maior motivação.

Mas, como pode construir a sua base e negócio de confiança?

A base inicia-se sempre com gerar valor, criar valor e principalmente, dar valor de forma consistente e repetida. Por quanto mais tempo o fizer num determinado mercado (de preferência local), mais o mercado local (e não só) o aceitará, e por conseguinte, mais confiança irá gerar. O retorno dá-se quando as pessoas o voltam a consultar para repetir a experiência e quando o referenciam.

Regras básicas e cruciais para gerar confiança e criar valor(os líderes de mercado fazem isto há anos):

  • Seja claro no compromisso de criar valor;
  • Faça o que diz que vai fazer;
  • Faça os dois pontos anteriores de forma constante, e sem parar, vezes sem conta.

Comece sempre por compromissos pequenos, e que sabe que vai cumprir, aumente gradualmente à medida que aumenta a sua capacidade. A longo prazo é sempre um investimento seguro, porque quando estabelece um forte grau de confiança e falha por algum motivo, essa falha pode ser perdoada e normalmente nada acontece.

E como pode medir o seu nível de confiança?

Inicie por perguntar às pessoas com quem se relaciona (clientes, potenciais clientes ou antigos clientes):

  • Como sabe que é de confiança?

Depois, o melhor indicador é quando as pessoas voltam e voltam e não o deixam de o consultar, incrementando pedidos para fazer coisas até fora da sua área de intervenção. Ex: além da mediação do arrendamento, pode e verificar e receber o imóvel ao inquilino que vai sair.

Resta saber onde consegue obter maior grau de confiança e onde entrega mais valor.

Encontre uma atividade onde consiga gerar valor, e será nesta que vai gerar mais confiança. Por vezes aventuramo-nos em áreas onde não somos especialistas, mas para agradar o nosso cliente, não dizemos que não. Esta atitude é muitas vezes um tiro no pé, é inevitável perda de confiança, pois não estou a gerar valor e falho no compromisso. Assim sendo, pense nas coisas que faz bem, que lhe saiam bem, e principalmente que gosta de fazer. Foque-se nas áreas que é melhor e mais bem sucedido.

E agora, está apenas confiante, ou confia realmente em si? Nunca conseguirá vender nada a ninguém, se não conseguir captar a sua ATENÇÃO e, consequentemente, a sua CONFIANÇA.

Artigo publicado no blog out-of-the-box

(Visited 55 times, 1 visits today)