Já sabemos que, uma boa imagem, vale mais que mil palavras

Já sabemos que, uma boa imagem, vale mais que mil palavras

Já vão longe os tempos em que uma tabuleta na varanda, um prospecto A4 na montra, um anúncio no jornal e um crédito para todos, aprovado na hora e a 100% eram a norma no sector e o dia-a-dia do Agente Imobiliário.

Hoje, a nova era da internet, das redes sociais e do mobile, florescem em plena crise e estagnação económica, o que veio a alterar as regras para muitos negócios e o nosso, não é excepção. Teremos cada vez mais em mãos, novos desafios que devem ser encarados naturalmente, mas com muita atenção e seriedade. Por exemplo, o número de potenciais compradores de imóveis com um grande conhecimento e uso das novas tecnologias e constante presença nas redes sociais, é cada vez maior, para estes clientes, a busca de um imóvel é efetuada quase na sua totalidade via online, logo, o primeiro contacto será sempre o visual, sendo por isso essencial uma apresentação muito cuidada do objecto de venda, tanto na parte fotográfica, como na sua descrição, de forma a que esta se destaque entre tantas outras ofertas que vemos nos portais on-line.

O grande desafio passa por tornar a nossa comunicação viral nas redes sociais, as pessoas tornam-se então os nossos meios mais valiosos e eficazes. Esta tendência deve-se à crescente mudança de comportamento das pessoas face à informação e à evolução de como esta é comunicada. Passámos de usuários passivos, onde nos limitávamos a receber informação indiferenciada, para usuários activos, onde temos hoje a possibilidade de partilhar e receber informação seleccionada. Hoje facilmente partilhamos o que gostamos, com quem achamos que pode também gostar, através dos meios que vieram revolucionar o início deste século, as redes sociais. Temos então interacções entre pessoas que se tornam no perfeito veículo para uma eficaz promoção do produto e quase a custo zero.

No meu dia-a-dia de contacto com diversos mercados imobiliários, reparo que o mercado Português ainda tem algumas arestas a limar neste sentido. A presença nas redes sociais é ainda básica e muito pouco activa em termos de interacção com o público.

Por exemplo, muitos imóveis exibem fotos de muito baixo valor visual e quase nenhuma informação, passando por vezes um conhecimento e utilização amador e afastando potenciais compradores, que podem ser seduzidos na sua busca on-line e encontrar algo semelhante, na mesma zona, mas com uma apresentação mais cuidada.

Ainda muitas vezes, e devido ao facto de não se praticar no mercado a angariação em exclusivo, até se pode encontrar o mesmo imóvel, mas com apresentações e preços diferentes, o que cria uma enorme desconfiança… Por vezes, mesmo dentro das mesmas redes imobiliárias, não existe o mesmo padrão de apresentação e resposta o que acaba por dar uma imagem distorcida da marca.

As redes sociais existentes e futuras, os dispositivos móveis e a sua interacção com novas tecnologias e aplicativos, serão nos próximos anos uma das ferramentas essenciais que marcarão a diferença entre o sucesso, ou fracasso para cativar novos e cada vez mais exigentes clientes. Cabe por isso aos intervenientes no mercado imobiliário a correcta formação das suas equipas para os desafios que se avizinham para que possam implementar estratégias adequadas. Estas estratégias passarão obrigatoriamente por uma constante e completa interacção com o público em ambos sentidos, ou seja, não basta comprar “gostos” ou convidar todos os amigos on-line e esperar um aumento de tráfego que conduza a novas oportunidades de negócio no Facebook, os “gostos” comprados na sua maioria, não querem comprar casa e os amigos, já estão dentro do assunto, é por isso necessário criar conteúdo orgânico atraente que crie interacção e produza a desejada diferença que atraí o clique, a interacção, a partilha e o contacto.

Este artigo foi escrito pelo Rui Gomes, parceiro na Park Avenue (www.parkaven.com), consultora imobiliária sediada em Estocolmo na Suécia, a qual se dedica, entre outros mercados, aos negócios imobiliários de investidores e cidadãos suecos que pretendem investir em Portugal.

Desde já agradeço ao Rui, e deixo algumas dicas de como o profissional de mediação imobiliária poderá trabalhar os seus produtos no Mercado Sueco:

  • Trabalhe só e apenas em exclusivo
  • Tenha cuidado com a apresentação (fotos, textos, descrições, decoração, envolvente, recorra a serviços de Home Staging)
  • Utilize os canais on-line de forma correta, explore ao máximo as redes socias e seus aplicativos
  • Trabalhe em parceria com mediadores locais, dedicando-se exclusivamente ao seu cliente vendedor

A Suécia é um excelente país para desenvolver e promover os seus imóveis, seja profissional, seja exclusivo e bons negócios!

 

 

(Visited 35 times, 1 visits today)