O RETORNO À ESPECIALIZAÇÃO

O retorno à especialização já não é novidade em muitas atividades, deparamo-nos com especialização todos os dias, senão, vejamos: se necessitar de mudar os pneus do meu carro, opto por ir à oficina especializada em pneus; se tiver um problema jurídico na minha empresa, escolho recorrer a um jurista cuja especialidade seja Direito Comercial; se tiver um problema de coração, terei com certeza que recorrer a um cardiologista, e dentro do especialista, vou sempre procurar, o mais especialista, o que se destaca. São muitos os exemplos desta tendência transversal à maioria das atividades, e esta necessidade crescente, leva-nos a evoluir para especialidades dentro da especialização.

Hoje procuramos peritos e especialistas para aconselhamento e solução de necessidades ou problemas, na maior parte das vezes, dispomo-nos a pagar o que for preciso para conseguirmos obter o que queremos.

Olhando para o passado e antevendo o futuro próximo, parece-me óbvio que para quem quer ser bem-sucedido o caminho será o da especialização e da focalização, contudo, existe uma premissa muitíssimo importante para que se consiga chegar à especialização, e essa premissa dá pelo nome de mercado.

A especialização só faz sentido se houver mercado, ou seja, se houver massa critica para que a necessidade de existência do especialista faça sentido, para que o especialista consiga sobreviver. Por exemplo, há uns tempos necessitei de uma especialista de uma profissão que já existe há muitos anos, mas que está em vias de extinção, precisei de uma cerzideira, uma costureira que dentro da sua atividade se especializou no concerto de tecidos que se desfiam nas peças de roupa após um forte e constante desgaste, mas hoje em dia, quando isto acontece a maior parte das vezes compramos uma nova peça de roupa nova, e por esta razão, a necessidade desta especialização deixa de fazer sentido, pelo menos para a maioria. Transportando esta reflexão para a atividade da Mediação Imobiliária, procura-se cada vez mais o princípio básico da especialização: “fazer apenas uma coisa, mas fazê-la muito bem-feita”.

Esta é a razão pela qual, cada vez mais, temos especialistas em zonas ou mercados, especialistas que dedicam todo o seu tempo e foco a uma única atividade específica, para que o cumprimento de objetivos seja garantido, e para que os seus resultados sejam reconhecidos e valorizados para que no futuro se tornem na primeira pessoa que o cliente se vai lembrar quando necessitar de comprar, vender ou arrendar.

Num próximo artigo, irei falar sobre os tipos de especialização na mediação imobiliária. Até lá.

Artigo publicado no blog out-of-the-box.pt

(Visited 7 times, 1 visits today)