PNL & Neurociência

Um dos três criadores da Programação NeuroLinguística, Richard Bandler afirma que embora esta nunca pretendesse ser uma ciência, toda a nova investigação que possa apoiar a PNL (Programação NeuroLingustica) é bem-vinda. Muitas pessoas precisam destas “provas” para darem uma oportunidade à PNL.

Encontramos em PNL todo um conjunto de axiomas à volta do funcionamento da mente e sobretudo ferramentas para aplicação prática. A neurociência nos últimos 10 a 15 anos parece estar mesmo a fornecer as tais “provas” científicas para o que em PNL se vem afirmando desde o seu início nos anos 70 do século passado.

Em PNL trata-se das bases sensoriais da comunicação e dos aspetos neuronais subjacentes, da base das relações humanas designada em PNL como “rapport” e fundamentada hoje em dia pela descoberta dos neurónios de espelhamento, da criação de mapas individuais mentais e da sua transformação que se fundamenta hoje no que é conhecido como a neuroplasticidade do cérebro, dos aspetos inconscientes que formam a base das nossas crenças e ações, do papel das emoções na tomada de decisões, do tema do prazer e da dor ligados diretamente às características fundamentais do funcionamento do cérebro, etc.

Artigo escrito por José Figueira

Master practitioner, coach, terapeuta e trainer de PNL consultor e trainer do Panorama Social

(Visited 12 times, 1 visits today)