Uma amostra do Mercado Imobiliário de 2018…

Em altura de balanço e estatísticas, achei curioso partilhar a caracterização de uma amostra que apesar de não poder ser considerada como um reflexo do mercado da atividade de Mediação Imobiliária em Portugal no ano de 2018 pela sua dimensão e pela falta de conhecimento daquilo que é o universo de Agentes Imobiliários em Portugal, pode servir para dar uma ideia de quem procura formar-se e melhorar a sua performance num mercado que não é infelizmente regulado de forma adequada.

Para elaborar esta análise, recorreu-se a dados obtidos através de inquérito facultativo de escolha múltipla que foi realizado aos participantes de todas as minhas formações efetuadas durante o ano de 2018 através da parceria com a Domínio Binário, desde logo agradeço ao Paulo Fernandes pela brilhante ideia de começar a medir para caracterizar melhor o público participante das formações: “ANGARIAR PARA VENDER”; “QUALIFICAR PARA VENDER”; e “COMO SER UM TOP PRODUCER”. O inquérito foi realizado através de uma APP de origem nórdica, a mentimeter. Do universo de participantes, obteve-se uma amostra de 455 indivíduos que quiseram participar no inquérito de forma totalmente anónima. A amostra representa 455 pessoas de 102 concelhos portugueses, incluindo as ilhas da Madeira e Arquipélago dos Açores.

 

Vamos então aos dados obtidos das 5 questões colocadas:

  1. Há quantos anos está na Mediação Imobiliária?

Menos de 1 ano           33%

1 a 3 anos                     30%

3 a 5 anos                     11%

5 a 10 anos                   9%

10 a 20 anos                 15%

Mais de 20 anos           2%

33% dos inquiridos está no sector há menos de 1 ano, 30% entre 1 a 3 e os dois em conjunto representam 63% da amostra, ou seja, é notório o que a amostra reflete, a entrada de novas pessoas neste sector que procuram formar-se. Na minha opinião esta tendência é justificável pelos seguintes factos:

  • A passada crise económica, que levou muitas pessoas a mudar de vida para esta atividade;
  • A conjuntura atual do sector, que desde há 4 anos tem estado bastante favorável;
  • A facilidade de entrada na atividade (os Agentes Imobiliários não precisam de uma formação específica nem de uma licença, os Brokers obtêm uma licença de forma muito facilitada).

 

  1. Trabalha numa empresa de Mediação Tradicional ou num Franchising?

Tradicional       74%

Franchising      26%

Esta pergunta poderá ter tido alguma interpretação menos clara, pois a distinção entre Franchising e Rede de Agências não foi clara, por exemplo, pode existir uma rede de Mediação Tradicional que não é caracterizada como um Franchising, contudo, pelo resultado obtido, diria que a conclusão é bastante lógica tendo em conta a caracterização do mercado atual, 74% da amostra trabalha em empresas de Mediação Imobiliária Tradicionais, ou seja, em empresas que não estão ligadas a nenhuma rede de Franchising.

 

  1. Que tipo de função exerce na Mediação Imobiliária?

Agente Imobiliário      73%

Gestor(a) processual    2%

Coordenador(a)            3%

Broker/Diretor(a)        19%

Outra                           3%

A partir daqui podemos também verificar que quem procura formação são maioritariamente Agentes Imobiliários, o que é natural, pois a maioria do mercado é constituída por Agentes e não pelas restantes atividades e também, porque o target tendencial das formações são os Agentes, apesar de poderem ser formações altamente complementares para qualquer das atividades apresentadas.

 

  1. Quantos Agentes Imobiliários trabalham na sua Agência?

1 Agente Imobiliário                           4%

2 a 5 Agentes Imobiliários                   31%

6 a 10 Agentes Imobiliários                 35%

11 a 20 Agentes Imobiliários               9%

mais de 20 Agentes Imobiliários          20%

Muito importante esta pergunta e mais uma vez, sempre na minha opinião, tivemos uma resposta clara para a evolução da tendência do mercado, pois se formos considerar outros estudos feitos no passado, há uma evolução evidente das estruturas de equipas superiores a 20 comerciais em detrimento de empresas de pequena dimensão. A influência das Redes de Franchising Norte-Americanas transformou as equipas em equipas maiores de base comissionista e não assalariada e estas equipas são hoje uma realidade e não apenas uma tímida percentagem. A amostra mais representativa centra-se hoje nas equipas de 6 a 10 Agentes, no passado, e com base em estudos anteriores, a média era de 4 agentes por agência.

 

  1. Trabalha em Exclusivo, Aberto ou ambas as formas?

Exclusivo          21%

Aberto             12%

Ambas             67%

Mais um dado relevante, pois será fácil pensarmos que maioritariamente os profissionais trabalham em regime aberto e nesta fase de mercado ainda mais, pois além da dificuldade em angariar, devido a uma relativa escassez de imóveis, a entrada de novos players (muitos sem sistema/método e focados mais no cliente comprador do que no vendedor) dão uma vantagem para a tendência do facilitismo, algo que não caracteriza o regime da exclusividade. Assim sendo, para mim foi surpreendente verificar que 21% dos Agentes que responderam ao inquérito, já só trabalham em regime de exclusividade. Também será importante referir que quem respondeu que trabalha de ambas as formas, tendencialmente opta mais pelo aberto do que pelo exclusivo, mais uma vez, o facilitismo e a falta de produto como as causas desta tendência que nos revela que 79% das empresas de Mediação Imobiliária desta amostra trabalham em Regime Aberto e 21% em Exclusivo.

Por fim, devo referir que no final do ano de 2018 existiam 6.277 Agências Imobiliárias em Portugal, dado obtido pelo número de licenças AMI (fonte IMPIC).

Em 2019 a Domínio Binário irá continuar a medir esta amostra do mercado da Mediação Imobiliária, não apenas com este tipo de estudo, mas também divulgando o ranking de número de agências e agentes que é pontualmente fornecido através da minha newsletter (pode inscrever-se gratuitamente em www.massimoforte.com). Este ranking tem como fonte os dados fornecidos pelas marcas através dos seus sites online, o ranking é composto por empresas com presença nacional, medindo o número de Agentes e só depois, o número de Agências.

De seguida a última tabela obtida.

Fonte: Estudo exploratório Domínio Binário 2018.