Ano Novo, Agente Imobiliário Novo?

O ano terminou e o mercado imobiliário está prestes a fazer um balanço da sua atividade que mais uma vez, se prevê muito positivo. Mas será que esta positividade está a ser vista à lupa? Será que há sinais de que o mercado está a mudar?

O Mercado imobiliário é lento, aliás muito lento, uma das frases mais engraçadas sobre a dinâmica deste setor e cujo autor não me recordo francamente, descreve muito bem o que se pode esperar deste mercado: “o mercado imobiliário é como um grande barco que demora muito tempo a mudar de rumo, quando nos damos conta, já mudou por completo e não nos apercebemos”.

Num momento em que os valores de venda ainda verificam uma subida estimada na ordem dos 5% em relação ao ano transato, outro indicador, o de preços pedidos, verifica uma tendência de subida com preços de colocação do imóvel no mercado cada vez mais altos, o que acaba por sufocar a procura que já tem de fazer um grande esforço para conseguir comprar ou arrendar uma casa. Os próprios estrangeiros já começam a dizer que Lisboa e Porto não estão tão competitivos como em anos anteriores mais recentes. Para dificultar ainda mais, a oferta de imóveis, seja para venda como arrendamento, é baixa. Estima-se também que as transações baixaram ligeiramente em relação ao ano passado. O tempo de transação, ou seja, o tempo que o imóvel demora a ser vendido em condições normais, está a começar a aumentar cada vez mais.

Simplificando, possivelmente já se apercebeu que na generalidade, as casas não se vendem de um dia para o outro e que, os preços já não são aquilo que o proprietário pede quando vende, assim sendo a avaliação da ajuda que obtém ou poderá obter de um verdadeiro profissional de Mediação Imobiliária começa a fazer sentido e é algo que deve ponderar seriamente.

Já lhe aconteceu ter a sua casa à venda através de um Agente Imobiliário sem conseguir vender? Se esse é o seu caso, ou se está a pensar vender, está na altura certa para avaliar se deve manter ou se deve procurar um novo Agente Imobiliário Profissional.

Num mercado que caminha para uma maior dificuldade de oferta de produto, com crescente exigência de capacidade de negociação de preço, será importante verificar se o seu Agente, para além de profissional, é de facto um verdadeiro especialista, algumas dicas:

 

Informação

O seu novo Agente precisa de conhecer o mercado como ninguém, mas não o mercado global, será necessário que ele tenha informação contínua, confiável e específica da zona ou bairro onde se insere a sua casa. Para isso, o Agente deve ter uma zona de especialização onde passa a maior parte do seu tempo para ser conhecido e reconhecido e por fim, para conseguir obter informação privilegiada e essencial para ser bem-sucedido na sua atividade. O seu Agente deve também usar a tecnologia disponível, não basta ir aos portais, se for profissional, estará munido de ferramentas como metasearch, que em menos de 3 segundos consegue dar-lhe uma visão clara de tudo o que se encontra para venda numa determinada zona, bairro ou mesmo rua, a Casafari é possivelmente a melhor ferramenta de metasearch que temos disponível em Portugal. Só informação fidedigna e experiência no terreno poderá conseguir perceber as dinâmicas do seu mercado específico e aconselhá-lo ao nível do valor a pedir, bem como das respetivas estratégias para melhor vender o seu imóvel, ou seja, qual o melhor preço dentro do tempo adequado para si.

 

Tempo

O seu Agente Imobiliário Profissional deve ter uma única missão, não lhe fazer perder tempo. Assim sendo, procure profissionais que simplifiquem, que sejam diretos, assertivos, transparentes e que se adaptem ao seu estilo de comunicação. Mais uma vez, a tecnologia ajuda, vejamos. O acompanhamento hoje pode ser feito de variadíssimas formas: whatsapp, skype, facetime, entre outras, o mais importante é que se adapte a si para não lhe fazer perder o seu precioso tempo mantendo a comunicação de forma frequente. Nas visitas de clientes, deixe que seja ele a negociar e a representá-lo, se ele for de facto profissional, vai saber negociar como ninguém poupando o seu tempo e dinheiro. Apoie-se no Agente para tudo o que tenha a ver com o imóvel e otimize o seu tempo, por exemplo, a atualização da documentação pode ser resolvida pelo Agente.

 

Divulgação

Se o seu atual Agente só se limita a colocar uma placa de venda e um anúncio em alguns sites na internet, então está mesmo na altura de mudar. Verifique ou peça um Plano de Marketing específico para o seu imóvel e avalie em conjunto as várias ações propostas. Procure saber qual a sua opinião sobre qual será o público alvo para o seu imóvel e onde é que ele acha que poderá encontrar com mais facilidade potenciais compradores.

 

Potenciais Compradores

Se ele for mesmo profissional, também não vai querer perder o tempo dele, assim sendo, será uma boa prática o método de selecionar potenciais compradores através de uma reunião ou encontro feito antes de visitar a sua casa para garantir que as pessoas que a visitam não estão apenas interessadas, mas são realmente potenciais compradoras. O Agente deve avaliar motivação e capacidade financeira do interessado, evitando assim visitas infrutíferas ao seu imóvel e evitando o desgaste emocional de levantar falsas expetativas.

 

Colaboração

Pergunte-lhe se ele partilha com outros colegas, a partilha é basicamente a possibilidade que ele dá a outros profissionais de também poderem mostrar o seu imóvel caso tenham um potencial cliente comprador. Quando bem feita, a partilha é sempre gerida pelo seu Agente para poder continuar a filtrar os potencias compradores de outros colegas, mais uma vez, você ganha tempo e melhora substancialmente a divulgação do seu imóvel aumentando a oportunidade de venda.

 

Na minha opinião, estes são os pontos mais importantes a ter em conta quando avalia ou contrata um Agente Imobiliário Profissional. Resta saber se este Ano Novo é afinal um ano de novo Agente!