CARTAS DE AMOR NO IMOBILIÁRIO, por Maria Ana Ferro, CopyWriter

A comunicação é a base da atividade de qualquer Agente Imobiliário, e por saber que comunicar para vender é fulcral, pensei em desafiar uma pessoa que todos os dias comunica bem e de forma profissional, a dar-nos a sua visão do que para ela seria saber comunicar bem na nossa atividade.

A Maria Ana Ferro é CopyWriter de profissão e criadora de conteúdos para diversas marcas, mas é acima de tudo uma mãe ativa de 3 filhos com um livro editado e um blog com mais de 30 mil seguidores onde partilha a sua visão sobre maternidade e família.

Este artigo começou através do instagram de forma espontânea e descontraída, desafiei a Maria Ana Ferro   sem esperar uma resposta, mas o mais curioso, foi que a resposta veio quase de forma imediata! A Maria Ana Ferro compreendeu a importância deste desafio e disponibilizou-se a dar a sua visão sobre o tom de comunicação que gostaria de ver utilizado por Agentes Imobiliários…

 

Não precisamos de entender muito sobre mediação imobiliária para saber de antemão onde começa a relação entre agente imobiliário e cliente.

Tal como no amor, para cada cliente há uma casa e é na prospeção de mercado que o agente identifica o par perfeito para determinado perfil de cliente. É também muitas vezes no momento da qualificação e angariação, que imediatamente reconhece um perfil ou cliente específicos.

Numa altura em que as relações são aceleradas e os amores fugazes é fundamental saber como cativar e como comunicar de forma certeira. Não perder tempo, mas dedicar o tempo certo a usar a linguagem escrita como chave para uma relação de sucesso.

 

Como destacar os nossos imóveis num mercado superalimentado?

Outra vez como no amor ou nas relações, é essencial encontrar pontos chave, enaltecer qualidades, criar empatia e promover uma relação próxima com o cliente.

Chegar ao cliente de forma perspicaz é adivinhar os seus sonhos, romantizar o negócio e vestir os seus sapatos, ter empatia.

Não ter medo de trazer emoção para o ramo é premissa elementar na criação de qualquer relação, assim como é partilhar essa emoção através de conteúdos adequados e inteligentes.

As redes sociais trouxeram a possibilidade de escolhermos a dedo os candidatos e de estarmos disponíveis para sermos escolhidos entre tantos. É por isso e muitas vezes “a primeira vista” do cliente.

Mas seja online ou em qualquer outro meio a redação das mensagens deve ser emocional e próxima e tocar nos pontos certos de forma a cativar. Muito mais do que metros quadrados, disposições e áreas, essa empatia necessária deve traduzir-se numa comunicação específica para cada casa/cliente/mensagem.

As palavras certas no momento certo podem ser o momento de viragem na tomada de decisão e uma forma de chegar ao coração, onde como se sabe, tudo se decide.

 

Artigo de Maria Ana Ferro, CopyWriter e autora do blog amaejavai.com