O Poder da Autenticidade

Carla Costa na praia

 

Trabalhar no mercado imobiliário é escolher lidar com pessoas. Clientes compradores e clientes vendedores. Portugueses e estrangeiros. Homens e mulheres. Solteiros e casais. Famílias e viúvos/as. Empresários e investidores. Colegas e colaboradores. Brokers e parceiros. Formadores e fornecedores. Colegas de outras agências.

Vários tipos de pessoas. Todas únicas. Com histórias, papéis e necessidades distintas.

Como o Massimo diz, este é mesmo um negócio de pessoas para pessoas.

E o que é que liga as pessoas? Haverá diferentes opiniões sobre o que é importante na criação da relação com os diferentes stakeholders deste mercado. Lanço um desafio.

Vamos simplificar e partir desta premissa:

“Para um agente construir uma boa reputação e ser bem-sucedido no mercado imobiliário é fundamental criar relações de valor e de confiança.”

Como uma planta que precisa de ser regada para crescer saudável, as relações também precisam de ser nutridas. Acredito que há um elemento absolutamente essencial, que faz a diferença neste processo de cuidar e construir relações de valor: a autenticidade.

Um agente imobiliário que é autêntico está a assumir a força da sua Marca Pessoal. É um profissional que tem consciência do seu ADN e da sua proposta de valor. Respeita a sua essência. Tem uma visão clara daquilo que quer alcançar e sabe comunicá-lo com alinhamento e coerência.

Ser autêntico implica ter em conta cinco conceitos. Reflita sobre eles e pense naquilo que poderá colocar em prática para construir uma Marca Pessoal autêntica.

 

Autoconhecimento 

Como pode ser autêntico se não souber quem é? Se não tomar consciência do seu mundo intangível? Os valores pelos quais rege as suas ações. A missão e a visão que quer alcançar. As características diferenciadoras da sua personalidade. Os pontos-fortes e aqueles que deve trabalhar. As hard e as soft skills que elevam a sua marca.

Fazer uma autoanálise é o primeiro passo para o processo de autoconhecimento e alinhamento da marca pessoal.

Dica: Pare. Reserve tempo para si. Coloque num papel quais são os seus valores, missão e visão profissional. Porque é que faz aquilo que faz?

 

Empatia

Este conceito remete diretamente para a criação de relação. O negócio não é sobre si. É sobre como pode estar ao serviço do outro. Compreendê-lo. Escutá-lo ativamente. Perceber as suas necessidades. Contribuir para encontrar uma solução.

Dica: Visualize um cenário com o seu cliente ideal. Como seria a interação? Como iniciaria, desenvolveria e finalizaria. O que poderia acrescentar à vossa conversa que seja relevante, coerente e tenha valor. O objetivo é aumentar o nível de confiança com a pessoa.

 

Linguagem

Adequar a comunicação à pessoa com quem está a criar relação é fundamental. Sempre respeitando a sua essência. Vai além de dominar a língua-mãe de um cliente estrangeiro. Está relacionada com gestos e atitudes. Com o comportamento. Linguagem verbal e não verbal. Imagem exterior. Tudo comunica. Tudo emite uma mensagem.

Dica: Existe algum aspeto da sua comunicação externa que gostaria de melhorar? A sua dição ou discurso? A fluência numa língua? A sua apresentação/imagem?

Se identificou algo, peça ajuda. Consulte um especialista na área da comunicação ou da consultoria de imagem.

 

Proximidade 

As relações de confiança não se criam com barreiras. Proximidade tem a ver com disponibilidade e com ser acessível em conformidade com a sua essência. Tem a ver com estar ao serviço de alguém. Quando está próximo significa que disponível e recetivo a ajudar.

Dica: Avalie o seu nível de proximidade numa escala de 0 a 10. Está satisfeito/a ou gostaria de aumentar o nível? O que está ao seu alcance? Ser mais prestável? Potenciar a sua estratégia de CRM? Explorar novas ferramentas ou canais de comunicação? Defina, implemente e avalie o resultado.

 

Flexibilidade

Ser flexível significa ter liberdade para ser adaptável. Significa encontrar novas perspetivas e ir ao encontro do outro. Vai além do vender. Remete para desbloquear questões e encontrar soluções.

Dica: Avalie o seu nível de proximidade numa escala de 0 a 10. Avalie se está satisfeito/a.

Questione o que poderia ser melhor ou alcançar nas suas relações profissionais aumentasse o seu nível de flexibilidade. Seja criativo/a e pense como poderia fazê-lo.

 

Quando estamos inseguros ou desconfortáveis, seja consciente ou inconscientemente é essa a mensagem que passamos. Da mesma forma que, quando estamos seguros e confortáveis as outras pessoas percebem.

 

Lembre-se, a autenticidade é a qualidade mais preciosa de qualquer marca ou negócio.

 

Carla Costa

Especialista em Marca Autênticas

www.carlacosta.com.pt