Qual a diferença entre eLearning, Micro learning e Video training?

 

Hoje em dia, uma parte significativa do nosso dia é passado num universo digital, nomeadamente a navegar online. Trabalhamos online, comunicamos online, divertimo-nos online, partilhamos online. Na verdade, partilhamos muito online – desde ficheiros de trabalho a fotografias pessoais – mas acima de tudo, partilhamos conhecimento.

Nos últimos anos, a formação digital tem-se tornado mais flexível e acessível permitindo-nos escolher o formato que melhor se adapta às nossas necessidades (e ao nosso orçamento). Do Youtube a sofisticadas plataformas de formação, é possível aceder a conteúdos sobre praticamente tudo, em diferentes formatos. O fator mais importante a considerar é, sempre, a experiência de aprendizagem pois é a forma como nos relacionamos com os conteúdos que gera resultados.

Existe uma diversidade de soluções de formação disponíveis e, nesta diversidade, existe nova terminologia que se pode tornar confusa. Neste artigo, vamos abordar alguns dos conceitos mais utilizados: eLearning, Video Training e Micro Learning. Porquê estes três? Porque na bugle perguntam-nos frequentemente o que significam e quais as suas diferenças.

Vamos começar pelas definições.

eLearning é um conceito alargado que inclui toda a formação disponibilizada através de meios online ou eletrónicos, independentemente do seu formato (páginas de website, vídeos, pdf, live streaming…), da sua duração ou de qualquer outra característica.

Video Training é a formação no formato vídeo. Sendo vídeo, existe sempre uma base eletrónica, mesmo quando o vídeo é utilizado num ambiente presencial, como uma sala de formação ou um evento.

Micro Learning é um conceito relacionado com a duração do conteúdo de formação. Neste caso, “micro” refere-se a uma porção pequena de algo, portanto, micro learning é a oferta de m conteúdo formativo de duração reduzida. Em termos de formato pode ser um vídeo, um artigo, uma resposta rápida sobre como fazer algo, um email, entre outros.

Tanto Video Training como Micro Learning podem ser incluídos num programa de eLearning.

 

Aplicação prática

Existem várias aplicações para os três tipos de formação, bem como vantagens para cada um.

Ao utilizar eLearning, está a disponibilizar formação online e, por isso, consegue chegar a qualquer lado do mundo sem os custos e a logística inerentes às deslocações e à formação presencial. Este modelo também permite que os formandos acedam à formação em qualquer momento, de acordo com a sua disponibilidade, pelo que potenciais problemas como fusos horários ou localização deixam de ser barreiras. Para além disso, ao disponibilizar formação online está a permitir que todos os formandos vivam a mesma experiência, garantindo a consistência da mensagem.

Existem vários formatos que podem ser utilizados em formação online, mas o formato vídeo é um dos preferidos da grande maioria dos formandos, pois estimula vários sentidos e potencia a capacidade de atenção e foco. No modelo Video Training, utilizar um apresentador permite dar um cariz mais humano ao conteúdo, potenciando o envolvimento do formando a formação. É um formato altamente eficaz e com uma elevada e comprovada taxa de retenção. Outra vantagem, é a sua flexibilidade. Com vídeo é possível adaptar diferentes tipos de vídeo aos objetivos da formação, como por exemplo, usar o screencast (gravação de ecrã) para formação sobre software, roleplay (dramatização) para formação comportamental ou animação para explicar conceitos mais complexos.

O micro learning, por sua vez, é um formato que está a ganhar tração devido às agendas cada vez mais ocupadas dos formandos. Com os seus conteúdos de curta duração, o micro learning é perfeito para assistir em qualquer momento, mesmo numa curta pausa. Durações curtas e conteúdos diretos ao assunto são a abordagem perfeita para quem tem pouco tempo disponível.

A combinação destes três formatos é o mix perfeito. Se pensar no assunto, passamos a maior parte do nosso dia com um dispositivo na mão, seja um computador, um tablet ou um telemóvel. Isto significa que, se conseguir partilhar a formação através destes dispositivos, estará, literalmente na mão dos seus formandos.

 

Video training online

Para aproveitar verdadeiramente o potencial do video training online, é necessário encontrar a plataforma de formação certa para a sua empresa.
Neste artigo poderá encontrar algumas dicas a ter em conta na escolha da plataforma de formação.

No entanto, mesmo com a melhor plataforma de formação, o conteúdo formativo é crucial para o sucesso da sua academia e o cumprimento dos seus objetivos de formação e de negócio.

Na bugle, a nossa equipa de Digital Learning Solutions ajuda os clientes a criar cursos de video training eficazes, oferecendo serviços de chave-na-mão ou consultoria dedicada a cada um dos passos do processos de criação de um curso. Para ter uma ideia mais concreta de como os nossos Instructional designers abordam a criação de cursos de video training, partilhamos consigo o nosso modelo editorial.

 

O modelo editorial Bugle

Formato

Escolhemos o formato vídeo porque oferece uma maior retenção da informação partilhada, quando comparado com os outros formatos disponíveis. Permite ainda adaptar diferentes tipos de vídeo a objetivos de formação específicos, baseados nos desafios que os nossos clientes pretendem ultrapassar com cada curso. Como exemplo de tipos de vídeo evidenciamos os vídeos com apresentadores, as infografias, o screencasting (gravação de ecrã), o roleplay (dramatização), as demostrações, as animações, entre muitos outros.

Abordagem

Seguimos uma abordagem prática ao conteúdo, focada em exemplos próximos da realidade e que promovam mudanças reais e uma aprendizagem eficaz.

Duração

Em média, um curso bugle tem entre 1 e 2 horas e dividido em módulos de 10 a 15 minutos, que são por sua vez divididos em capítulos de 2 a 5 minutos cada (micro learning). A duração pode variar dependendo do tema e dos objetivos da aprendizagem.

Modularidade

A nossa abordagem é modular, o que significa que trabalhamos conteúdos de curta duração que podem ser facilmente integrados na vida ocupada dos formados. Isto significa que criamos um programa macro de conteúdos que inclui várias experiências de aprendizagem de curta duração. Estas são também válidas por si só, independentemente de estarem integrados num curso.
É desta forma que conseguimos com que a formação funcione tanto para os formandos que fazem o curso de seguida do início ao fim, como para os formandos que fazem o curso em vários momentos diferentes. Isto permite-nos trabalhar o curso como um puzzle, movimentando os capítulos e módulos de forma a criar diferentes experiências de aprendizagem.

Discurso

Os nossos scripts são diretos, têm frases curtas e não são demasiado técnicos. O tom que usamos é o de conversa, para que o apresentador se sinta confortável quando fala, mas principalmente para os formados se identifiquem e sintam que o discurso é natural.

Humanização

Para promover um processo de ensino aprendizagem humanizado, os nossos cursos são sempre apresentados ou narrados por pessoas, idealmente alguém que os formandos reconhecem e com quem se podem identificar. Também nos focamos na experiência de aprendizagem e em como os formandos se vão sentir ao longo do curso – por este motivo damos atenção especial ao aspeto visual e composição do curso, às interações, e aos recursos formativos adicionais.

 

A criação de um curso pode parecer um desafio complexo, mas se abordar este processo um passo de cada vez, vai conseguir partilhar conteúdo relevante de modo eficaz e também confortável para a sua audiência.

Antes de começar a construir o seu curso em formato video training leia este guia, criado pela nosso equipa de Instructional designers, com os 8 passos do processo e dicas profissionais adicionais.

Se ainda não se sente confiante para dar este passo de forma independente, contacte uma equipa de Instructional designers como a Digital Learning Solutions. Esta foi a opção de Massimo Forte, um dos mais prestigiados consultores de imobiliário em Portugal, que se associou à bugle e à equipa de conteúdos DLS para criar o curso “Angariar para vender”. Com conteúdos de curta duração, esta formação online em vídeo, dá resposta a uma das principais dificuldades dos mediadores imobiliários – como angariar o imóvel certo para garantir um negócio efetivo. Assista aqui ao teaser do curso e descubra como este formato multimédia é versátil e impactante.

 

Lisa Belchior

Project Manager & Senior ID na Bugle