Os 10 Mandamentos para construir a MARCA PESSOAL.

Depois de duas aulas fantásticas sobre esta temática, não resisti em transcrever os 10 Mandamentos para construir a Marca Pessoal da autoria da Maria Duarte Bello, expert em Marca Pessoal e acima de tudo uma excelente comunicadora.

1º – Definir a Marca. Baseia-se no desenvolvimento das qualidades pessoais e realizações, a fim de ser facilmente reconhecida pelos outros. Admiramos pessoas  que se transformam em exemplos e recordamos as que são distintas e especiais porque têm um traço predominante que define a personalidade.

2º – Atitude profissional. Um comportamento altamente profissional requer constância em todos os momentos. O modo de actuar é importante todos os dias e uma conduta exemplar traz vantagens porque será sempre recordada. Pensar que os outros não darão conta é um dos maiores erros que se pode cometer.

3º – Transmitir confiança e credibilidade. Demonstrar ser capaz de fazer o trabalho e inspirar outros a segui-lo. Proibido evidenciar indecisão, desvalorizar resultados, desculpar-se com frequência, arranjar justificações, responder a questões de forma evasiva ou parecer descuidado nas afirmações.

4º – Coerência total. A credibilidade depende da coerência entre a comunicação verbal e não verbal. As palavras, o tom de voz e a linguagem corporal devem estar alinhados e transmitir a mesma mensagem. Se não disserem o mesmo, os gestos têm preponderância na comunicação porque revelam involuntariamente o que realmente se quer dizer.

5º – Cultivar o carisma. A segurança em si mesmo, o encanto, um certo magnetismo pessoal, de quem facilmente se gosta e recorda. Ser alguém, que mesmo antes de falar, os outros querem escutar. A aparência visual transmite indicações relativamente à origem, educação, personalidade e grau de importância.

6º – Estabelecer sintonia. A sintonia facilita a comunicação. Estabelecer um território comum, uma zona de conforto onde as pessoas se sentem compreendidas. A comunicação harmoniosa e simpática é aceite, reconhecida e tomada em consideração. Quanto maior for a adaptabilidade mais ampla será a esfera de influência.

7º – Conduzir comportamentos. Traduz-se na capacidade de controlar o comportamento dos outros, de orientar projectos, de se organizar pessoalmente . Os maus modos e atitudes agressivas ou controladoras indiciam falta de maturidade. Podem resultar numa perda de competência e credibilidade acabando com a boa reputação.

8º – Status. É a utilização do poder pessoal para obter o reconhecimento dos outros. Influenciar é usar esse poder. Pode advir de várias maneiras, como o dinheiro. títulos ou posição de autoridade ou ainda do uso de atributos físicos para seduzir os outros.

9º – Ter estilo. Encontrar um estilo próprio, diferente, inconfundível que retrate a harmonia e espelhe a personalidade. Esta, manifesta-se na forma de vestir, actuar e de se projectar. Mas cuidado para não cair no ridículo de tanto querer ser diferente. É com as qualidades e defeitos transformados em assinatura que se constrói uma imagem com estilo.

10º – Praticar o networking. Nos contactos manter a palavra dada e cumprir o compromisso. Mas se não for possível, explicar a situação que impediu a concretização. Nunca pedir favores sem antes ter uma relação de confiança e de proximidade.

 

Artigo escrito por Maria Duarte Bello Coach especialista em Executive, Team e Life Coaching.

Autora dos livors: “TOP 10 dos Negócios”; “50 segredos do Coaching para Portugueses” e “Empresários à conquista do Mundo”    

        

(Visited 8 times, 1 visits today)