“Ver e Ser Visto” – As redes sociais e a mediação imobiliária

“Ver e Ser Visto” – As redes sociais e a mediação imobiliária

Hoje termos como networking, redes sociais, Facebook, Linkedin, Twitter, Google+ entre outros, estão presentes e enraizados na nossa rotina, nos nossos hábitos.

Hoje, a melhor informação passa já pelas redes socias, o CRM genuíno faz-se através do Facebook ou Linkedin e há já negócios a surgir todos os dias, de muitos sítios diferentes e distantes, apenas possível pela proximidade que as redes socias criam, por isso, quem hoje ainda não tem, está definitivamente a perder informação e oportunidades…

Mas afinal o que são redes socias? Como o nome indica são redes, ou seja, ligações entre pessoas que se conhecem, ou não, mas que têm ou procuram algo em comum. Relacionam-se, partilham informação de acontecimentos, ideias, estados de espírito, opiniões, imagens e cada vez mais, negócios.

O grande objetivo para a atividade da mediação imobiliária (e outras, claro), é o de gerar contactos. Temos que encarar como se de uma ação de prospeção se tratasse porém, as ações de prospeção são algo limitadas no tempo e difíceis de segmentar, duas coisas que nas redes socias são ilimitadas e que se podem tornar extremamente eficazes e direcionadas. Por exemplo, a hora a que faço prospeção, não será nunca condicionada e sei precisamente a quem me dirigir para promover um determinado imóvel ou ação, o target poderá ser selecionado para melhor direcionar a minha comunicação, pois tenho informação privilegiada sobre o alvo a que me quero dirigir pelo perfil de cada um destes, fantástico, não é?!

Contudo existem regras, e a primeira grande regra é: “primeiro dar e depois receber”. Quando me registo numa rede social, tenho de ter em conta que não sou ninguém, e que possivelmente, ninguém me conhece. Então, é a altura de dar ou de semear. Não se ponha logo a vender quando entrar, provavelmente, vai-se dar mal e comprometer os seus objetivos de crescimento a longo prazo. A melhor forma de dar, será então partilhar.

Na mediação imobiliária em especifico, não vendemos um produto mas sim um serviço, ou seja, o produto somos nós e nas redes socias, o nosso produto encaixa-se que nem uma luva! Temos de ser empáticos, claros na comunicação e agradáveis à vista (imagem), mas temos sobretudo que aportar benefícios ou informações relevantes. A venda neste canal terá de ser acima de tudo consultiva, não se deve por isso colocar anúncios de imóveis classificando-os como oportunidades, pode-se sim falar ou “postar” sobre o serviço que prestaram a alguém, ou sobre os vossos sucessos. Podem ainda escrever artigos de interesse ou partilhar informação útil que desperte a atenção dos vossos “amigos” potencialmente interessados. As pessoas que fazem ou poderão fazer negócios consigo, vão precisar de conhecê-lo, gostar de si e principalmente confiar em si, a melhor forma de o conseguirem é posicionando-se, tal como fazem todos os dias na rua, mas como? Simples, devem ter a informação de perfil atualizada e completa, colocando post’s, fazendo likes nas outras pessoas e nos post das mesmas, partilhando coisas interessantes para todos, criando assim uma espécie de fluxo positivo e de interesse à sua volta. Se conseguir isso, vai ver o seu número de amigos ou contactos a aumentar e passado uns tempos, começa-se a criar uma relação de confiança.

Alguns dilemas: “é melhor ter um perfil ou uma página?”; “será melhor ter 2 perfis (profissional e pessoal) ou um só?”. Em relação ao primeiro, pouco importa, tem é de ter qualquer coisa. Se optar pelo perfil e deverá sempre começar por aí, lembre-se que deve iniciar partilhando e dando, procure o seu círculo de influências e faça-se amigo deles, comece-se a relacionar, não venda, apoie através de likes e frases de congratulações pelos sucessos dos outros, mas sempre de forma genuína e sincera, deve aceder regularmente, mas não permaneça muito tempo.

Se optar por ter uma página, pode ser um pouco mais agressivo, mas sempre com muita calma. O desafio é grande pois as pessoas têm de gostar de si, e assim sendo, se não for muito conhecido por estas bandas, mesmo que tenha uma grande marca poderá tornar-se mais difícil de ser reconhecido. No caso da segunda pergunta, o ideal será sempre e apenas um perfil, pois você é só uma pessoa. É importante que as pessoas vejam o que você é na sua vida pessoal e que tem emoções, isto aumenta o fator de confiança, rapport e empatia.

Tudo o que se gere, tem de ser medido aqui também funciona dessa forma. Meça os likes, meça as visualizações dos seus posts e afine a sua forma de comunicar e direcionar.

O que pode fazer:

  • Faça-se amigo com o seu Circulo de Influências, mas também com pessoas da área, até a concorrência (lembre-se serão sempre seus parceiros, a ótica aqui é a partilha);
  • Diferencie-se na comunicação, seja inovador;
  • Interaja regularmente, pelo menos 1 vez por dia em cada rede;
  • Crie eventos e dinamize grupos de interesse;
  • Dê os parabéns aos seus amigos, sempre que façam anos ou que suceda algo de muito bom na vida deles;
  • Crie relacionamento, relacione-se e vai ver que as oportunidades vão aparecer.

Alertas e o que não deve fazer:

  • Tenha cuidado a tomar partidos, pode ferir suscetibilidades e se o seu objetivo é ser empático, criar relações e obter contactos isso pode ser um grande entrave;
  • Na sequência anterior tenha em atenção comentários sobre futebol, política ou religião;
  • Fotos sim mas, não abuse na ousadia e na informalidade;
  • Anedotas são bem-vindas, pois o humor é importante, mas mais uma vez tenha cuidado com a sensibilidade dos outros em determinados temas;
  • Não exclua ninguém na sua lista de amigos, a não ser que essa pessoa tenha passado das marcas para consigo, mas para isso há sempre a forma legal para o fazer e a própria rede a dispõe e funciona.

 Só para terminar, alguns factos:

  • O Facebook tinha 150 milhões de utilizadores em Janeiro de 2009 e mais de 800 milhões hoje !!!
  • Crescimento de 533% em 3 Anos
  • 12% da população Mundial está no Facebook
  • 50% dos utilizadores entram todos os dias
  • Os seus amigos têm uma média de 130 amigos
  • 350 milhões de pessoas entram todos os dias

 Vá não perca tempo, relacione-se e desenvolva o seu networking, há milhões de pessoas à sua espera para ver e ser visto!!!

 Já sabe, “não trabalhe para a tecnologia, ponha a tecnologia a trabalhar para si”

Este artigo foi publicado no blog.century21.pt

 

 

(Visited 52 times, 1 visits today)