Preços dos Apartamentos recuam, mercado de arrendamento recupera

CASAFARI divulga relatório imobiliário relativo ao terceiro trimestre de 2020 e concluí que os preços dos apartamentos recuam sob o efeito da pandemia,  mas o mercado de arrendamento, recupera e preços sobem:

 

  • Estudo elaborado pela proptech portuguesa revela que o preço médio de venda de apartamentos registou um decréscimo, de 0,5%, no terceiro trimestre;
  • Lisboa, Porto e Faro registaram quebras entre os 8,4% e os 0,8% dos preços médios de venda de apartamentos face ao segundo trimestre;
  • Os concelhos de Lisboa, Cascais e Oeiras foram os concelhos da Grande Lisboa com o preço médio de venda mais elevado, €275,162, €271,177 e €169,722. O concelho do Porto (€278,657), Matosinhos (€235,895) e Póvoa de Varzim (€198,834) destacam-se por serem os concelhos com o preço médio de venda mais caro no Norte;
  • No mercado de arrendamento, preços médios voltam a subir em Lisboa, Porto e Faro com a oferta disponível a aumentar.

 

A CASAFARI, proptech portuguesa que detém a mais completa e limpa base de dados do mercado imobiliário em Portugal, acaba de divulgar o ‘Market Report’, relativo a Lisboa, Porto e Faro, e outras grandes cidades portuguesas com dados do terceiro trimestre de 2020.

Trata-se de uma das mais importantes análises do mercado em Portugal, considerando que a CASAFARI agrega, através de inteligência artificial e machine learning, milhares de fontes de informação com propriedades disponíveis à venda na Internet, evitando a sua duplicação e agregando toda a informação atual e histórica de cada imóvel – o que oferece, em tempo real, os dados e o histórico de mais de 5,9 milhões de propriedades únicas.

De acordo com o relatório, baseado na ferramenta analítica que analisa os dados existentes das mais variadas fontes na Internet, o terceiro trimestre de 2020 revela dados muito importantes, ainda com o impacto do COVID-19. Entre as principais, destacam-se:

Análise dos preços médios de venda:

O preço médio de venda de apartamentos em Portugal registou uma ligeira quebra de 0,51% no terceiro trimestre, ainda sob o efeito da pandemia;

O preço médio de venda de apartamentos recuou 8,38% em Lisboa atingindo os €3,320/m2, desceu 4,13% em Faro e caiu 0,82% no Porto (€2,128/m2), enquanto Leiria e Aveiro registaram os aumentos mais acentuados, de 6,63% e 6,45%, respetivamente;

Os concelhos de Lisboa, Cascais e Oeiras surgem como os concelhos mais caros da Grande Lisboa, com os preços médios de venda mais elevados, €275,162, €271,177 e €169,722, respetivamente, enquanto os concelhos de Sobral de Monte Agraço, Arruda dos Vinhos e Cadaval surgem como os mais acessíveis;

O concelho do Porto (€278,657), Matosinhos (€235,895) e Póvoa de Varzim (€198,834) destacam-se por serem os concelhos com o preço médio de venda mais caro. Já os concelhos de Amarante, Lousada e de Marco de Canaveses apresentam os preços médios mais baixos;

O concelho de Loulé, Vila do Bispo e Lagos permanecem os concelhos com o preço médio de venda superior, enquanto Silves, Vila Real de Santo António e Alcoutim surgem como os preços médios mais acessíveis;

Em Lisboa, registou-se um aumento dos preços médios nas três tipologias (T1, T2 e T3), entre os 0,8% e os 3,6%, enquanto no Porto a tipologia T3 foi a única a verificar uma diminuição dos preços médios de venda, de 0,2%, tal como em Faro a tipologia T3 foi a única que recuou de preços, de 0,5%.

O distrito com o preço de venda mais elevado continua a ser liderado por Lisboa (€336,311), seguido por Faro (€227,101) e Porto (€204,960). Já Guarda (€79,487), Portalegre (€82,130) e Santarém (€88,006) mantêm-se como as zonas com valores mais acessíveis.

Análise dos preços médios de arrendamento:

Lisboa continua a ser o distrito com a renda média mais elevada do país, de €13,9/m2, enquanto o valor médio das rendas no Porto ascende a €10/m2 e em Faro a rondarem os €8,5/m2.

Em Lisboa, registou-se um aumento dos preços médios nas três tipologias (T1, T2 e T3), entre os 0,8% e os 1,6%, acontecendo o mesmo no Porto, com variações entre os 1,1% e os 10%, enquanto que em Faro a tipologia T1 foi a única que verificou uma diminuição de preços (-3,5%).

Análise ao stock disponível:

A oferta habitacional de casas para venda em Faro aumentou consideravelmente, em 12,6%, no terceiro trimestre, seguido por Lisboa e Porto com subidas de 10,5% e de 9,6%, respetivamente. No entanto, Vila Real apresenta a maior valorização do stock disponível: 61,3%

Em Lisboa, o stock disponível de apartamentos para venda aumentou nas três tipologias analisadas, com subidas entre 4,2% e os 9%, enquanto que no stock para arrendamento verificou-se uma diminuição nas tipologias T1 e T3.

No Porto, o número de apartamentos para venda aumentou nas tipologias T1 e T3, enquanto que no stock de apartamentos para arrendamento registou-se quebras entre os 3,9% e os 6,3% nas três tipologias.

No distrito de Faro verificou-se um aumento da oferta de apartamentos para venda nas três tipologias analisadas, entre os 3,9% e os 5,1%, acontecendo o mesmo no stock de apartamentos para arrendamento, com subidas entre os 14% e os 21%.

De acordo com Nils Henning, fundador da Casafari, “os dados atuais já indicam alguns sinais de retoma, sobretudo no mercado de arrendamento em que tanto os preços médios como a oferta demonstram uma recuperação. O mercado imobiliário português sentiu e, de alguma forma, continua a sentir o impacto provocado pelo Covid-19, mas deverá continuar a recuperar gradualmente até ao final deste ano”.

O Market Analytics é uma ferramenta que permite desenvolver pesquisas aprofundadas, incluindo análises descritivas de uma propriedade, nova ou usada, para venda ou arrendamento, dados da evolução de preços e mudanças da oferta em diferentes tipos de propriedades e locais, podendo compará-la com outras propriedades na mesma localidade, e produzir relatórios gráficos detalhados com toda a informação relevante de uma propriedade, uma rua, uma freguesia, concelho ou uma visão global do país inteiro.

Esta análise é efetuada de forma gráfica e interativa, sendo possível gerar relatórios de mercado e relatórios de avaliação com comparáveis e com toda a informação pesquisada, bem como fazer avaliações reais e fidedignas.

No ano passado, a CASAFARI obteve um financiamento de 5 milhões de euros de um grupo de alguns dos maiores investidores da Europa.  O investimento inicial tem o intuito de fazer crescer a equipa, desenvolver mais aplicações e acelerar a expansão para outros mercados europeus. Os investidores que lideraram as rondas foram os fundos de investimento Lakestar e Round Hill Capital.

 

 

Sobre CASAFARI:

CASAFARI construiu a base de dados mais completa e limpa do mercado imobiliário no mundo, com aplicações que servem uma variedade de profissionais do setor. A empresa está a desenvolver tecnologia de machine learning aplicada ao mercado imobiliário com extensivas operações de dados para indexar, limpar, classificar e eliminar duplicações de milhões de anúncios de propriedades disponíveis na internet de milhares de sites diferentes, em diferentes línguas, muitas vezes com informação inconsistente, diariamente. Desde o lançamento em 2018, a CASAFARI ganhou como clientes as maiores empresas de Portugal e Espanha, de marcas como a Sotheby’s International Realty, Coldwell Banker, RE/MAX ExpoGroup, Savills,Century 21 Ibéria,  Engel & Voelkers, Keller Williams, Kronos, Vanguard Properties, Finsolutia e outros.

Quer saber mais sobre a base de dados mais limpa e completa do mercado imobiliário, utilizada diariamente por mais de 10.000 profissionais em Portugal, Espanha e Itália?

Veja tudo aqui https://pt.casafari.com/